tomate-industrial

A sustentabilidade agrícola é um tema cada vez mais falado. Encontrar formas de produzir mais, mas como mínimo impacto ambiental é cada vez mais uma prioridade. Por isso, com vista à promoção da inovação de setor agrícola foram criados diversos grupos operacionais, dentro dos quais se destaca o Greentaste.  

Mas o que é um Grupo Operacional? 

O termo parece estranho, mas na verdade é bem simples de explicar! Os Grupos Operacionais nada mais são do que parcerias constituídas por entidades publicas ou privadas que têm como objetivo desenvolver um plano de ação. 

No fundo estes grupos operacionais são grupos de estudo que visam desenvolver planos de ação que visem dar suporte à inovação no setor agrícola. Para cada um dos grupos é disposto um problema concreto ou oportunidades à produção – no caso específico do Greentaste estamos a falar do tomate verde.  

Para este Grupo Operacional é fundamental estudar todas as potencialidades do tomate verde, procurando alternativas e estratégias que ajudem a perceber de que forma este pode ser aproveitado. Evitando-se o desperdício que muitas vezes ocorre após as colheitas do tomate. Aquilo que se pretende é criar produtos que de alguma forma sejam do agrado do consumidor e que façam este produto ter uma segunda vida – seja ou não através de produtos como: molhos ou temperos.  

Quais são os objetivos concretos deste Grupo Operacional? 

  • Diminuir o desperdício alimentar. Todos os anos várias toneladas de tomate acabam por ficar no solo, por isso é importante desenvolver formas de aproveitar industrialmente este alimento. Que ainda que verde, possui imensas potencialidades;  
  • Criar uma nova forma de rendimento. Com a enorme quantidade de alimentos que ficam na terra, pode ser criada uma nova fonte de rendimento, fazendo com que o produto consiga ser vendido a entidades competentes para a produção de produtos que cheguem até ao consumidor final.  
  • Promover a saúde e o bem-estar. Este Grupo Operacional irá focar-se também em perceber as potencialidades do tomate ainda verde e de que forma ele pode desempenhar impacto positivo na saúde do consumidor final. Estes estudos recaem sobre a análise de valores probióticos do produto fermentado.  
  • Criar uma nova gama de produtos. Visando o desperdício o que se pretende é criar um produto que seja agradável ao consumo. Para isso a aposta recai sobre o desenvolvimento de uma nova gama de molhos e temperos à base de tomate verde.  
  • Criar um mercado nacional mais competitivo. Quando falamos do mercado internacional de molhos e temperos, sabemos bem a sua competitividade. Por isso, queremos conseguir criar uma vantagem competitiva que vise a acompanhar as tendências deste mercado. Procurando apresentar produtos estrategicamente mais competitivos.  

A verdade é que cada Grupo Operacional possui o seu objetivo especifico, mas todos eles possuem três grandes objetivos em comum. Porque no fundo todo o trabalho é feito a pensar num bem maior. Desses objetivos gerais, destacamos três objetivos específicos:  

  • Potencialização da agricultura portuguesa: no caso do tomate, não fosse este um produto de forte representação no setor agrícola. 
  • Reduzir o desperdício: Neste caso, visando a diminuição do desperdício alimentar;  
  • Divulgar, promover e informar: Este grupo operacional à semelhança dos restantes, pretende estimular formas de consumo de hortifruticulturas que sejam livres de conservantes ou outro tipo de aditivos artificiais. A nossa saúde agradece, e o nosso ambiente também.  

Porque na verdade, cuidar do nosso ambienta também é cuidarmos de nós.